Liderança e integridade, entenda como líder reflete a empresa.

Quando falamos em cultura da integridade, estamos falando de um processo dinâmico e contínuo onde a cultura organizacional dissemina a integridade e a vivencia no dia a dia, enraizando conceitos e aprimorando as práticas de toda a organização. Nesse processo o comportamento das lideranças interfere diretamente na imagem da organização perante todos os públicos, ou seja, internamente para os colaboradores e externamente para clientes, parceiros, fornecedores. Essa é uma das grandes responsabilidades da liderança, que precisa ser o exemplo. A cultura organizacional pode ser mais bem absorvida e alimentada por todos tendo a liderança como modelo. Caso contrário, não “cola”.
Líderes e empresas não adquirem respeito e comprometimento de seus stakeholders se não agirem totalmente de acordo com seu discurso. Atitudes não condizentes por parte da liderança abrem uma brecha para demais colaboradores se sentirem confortáveis para agir assim também, ou, no mínimo, geram descrença na seriedade e integridade para empresa.
Por isso, para integridade se disseminar no ambiente empresarial esse assunto precisa estar em pauta e precisa ser mostrado através de ações e comportamentos diários. Mas o que significa isso na prática?
A integridade e atitudes não corruptas começam nas atitudes simples. Em não usar do seu cargo, posição de poder para ter benefícios, por exemplo, como negar uma oferta de suborno que traria vantagens financeiras para manter a integridade e reputação da empresa, o que seria uma situação não só desejável por toda a sociedade, como serviria de parâmetro para toda a equipe e pessoas com relacionamentos diretos com a empresa.
Outra atitude importante para fortalecer a cultura da integridade na empresa é a valorização dos comportamentos corretos. Ou seja, as situações delicadas precisam estar em pauta e os encaminhamentos compartilhados e valorizados como bons exemplos e, caso não seja, precisam ser avaliados e corrigidos. O entendimento da integridade e das boas práticas precisam ser aplicáveis e não apenas conceituais.

Sugestões para fortalecer a cultura da integridade:

  • Trabalhar com as equipes na prática, dando exemplos e aplicando suas políticas internas
  • Punir atos contrários às diretrizes internas, independente de quem os praticou
  • Reconhecer as boas práticas perante todos
  • Sempre envolver os líderes nas atividades de integridade, como bom exemplo e demonstração de abrangência das políticas e diretrizes internas a todos
  • Disseminar exemplos de situações reais e suas consequências, se possível fazendo paralelos com as características da empresa e quais seriam os impactos se ocorresse internamente
  • Treinar a todos de forma contínua e periódica, nos formatos mais adequados a cada público, de forma que a cultura seja fortalecida a cada ação, por menor que pareça ser