“Ninguém vai sair prejudicado”

“Ninguém vai sair prejudicado”  

Ideia central: Diferenças em notas, recibos, declarações, pagamentos de facilitações / caixinhas para agilizar processos, por menores que pareçam, fomentam a corrupção em todas as esferas e normalizam esses atos, que também precisam ser combatidos.

Esse é um pensamento errôneo, ainda muito cometido, infelizmente, em diversas empresas e instituições mundo afora, em diferentes escalas e valores. A ideia de que todos ganham, além da ideia de que ninguém sai perdendo é equivocada e deve ser combatida. 

Acreditar que pagamentos de facilitação não prejudicam ninguém é um contrassenso, já que é sim uma forma de corrupção, um valor indevidamente pago, não contabilizado e que incentiva a normalização dessa prática, podendo, ao acelerar algum processo, atrasar outros, por vezes demandar mais pagamentos similares para a condução de processos, além de não melhorar os processos burocráticos, já que, não sendo declarados, não há arrecadação de impostos e destinação de recursos a esses serviços.  

E pensando em grande escala, a prática pode envolver grandes montantes em recursos indevidamente destinados pelas empresas. 

Reconhecer que essas são práticas ilegais e combatê-las é imprescindível para mudarmos e evoluirmos como sociedade. 

Vamos juntos disseminar as boas práticas! Curta, divulgue, compartilhe esse post e essas informações! 

Autora: Carolina Thomé Utida

Diretora e auditora líder da CertiGov

Especialista em sistemas de gestão